none
Liberdade vai além de seguir um caminho definido RRS feed

  • Pergunta

  • Ola pessoal, tudo bem?

    Estou preocupado com certas medidas que estão sendo tomadas pela universidade onde estudo, o Windows e produtos Microsoft estão sendo banidos.

    Não sou contra Softwares OpenSource/Livre , de forma alguma, mas impedir nós desenvolvedores de conhecer outras coisas não vai contra o principio de liberdade?

    Nossos laboratórios não têm mais Windows como sistema operacional nativo, ele ainda é rodado no Wmware no Linux, mas de longe não é a mesmas coisa, principalmente para mim que estou começando a projetar um jogo , sem falar  no fato de que as maquinas vindas do estado mau rodam o Linux.

    A maioria dos meus professores fala mal do Windows em pontos estúpidos, eles parecem não conhecer ele na verdade, e mostram o Linux como a solução de todos os problemas.

    Parece um boicote, nunca podemos fazer comparações serias, sempre piadas imbecis sobre Windows , em geral infundadas.

    Não sou baba-ovo da Microsoft não, o problema é, não sou mais livre para escolher e nem para avaliar.

    Irrita o fato que a faculdade tem acordo de licenciamento com a Microsoft.

    Com vocês é assim também?

     

    segunda-feira, 12 de março de 2007 17:47

Respostas

  • Alexandre,

    Neste caso o ideal é você fazer um evento e mostrar a tecnologia, para que todos tomem conhecimento. Realmente a falta de conhecimento, de ambas as partes, acaba neste tipo de comportamento.

    Na minha opinião, os alunos tem que conhecer todas as tecnologias existentes no mercado, e optar por somente uma não é bom para ninguém.

    Se a escola tem acordo com a Microsoft, por exemplo, MSDNAA, isto garante a legalidade e o convênio, que traz muitos benefícios para todos, e isto não impede o fato de se usar qualquer software livre.

    Sugira montarem dois laboratórios, ou metade dos micros, com as duas plataformas.

    []s,
    Carlos.

    terça-feira, 13 de março de 2007 01:49
  • Infelizmente, tenho ouvido ou lido muito sobre o apoio incondicional das Universidades ao Open Source. Também não tenho nada contra, mas o que parece estar acontecendo é que algumas dessas Universidades já partem do pressuposto de que tudo que vem da Microsoft é "ruim" e que a salvação da humanidade está no Open Source.

    Vejam bem, um lugar onde deveria ser estimulado a troca de idéias não parece admitir que o "outro lado" tenha alguma razão. Isso é um absurdo! Em vez de fazerem discussões racionais levando-se em conta aspectos técnicos, mostrando as vantagens e desvantagens de cada abordagem, simplesmente leva-se a discussão para o lado emocional, no qual a defesa de uma alternativa passa a ser uma posição ideológica.

    É uma pena...  


    Ricardo Oneda
    http://oneda.mvps.org/blog

    domingo, 18 de março de 2007 01:32
  •  Alexjs wrote:

    Nosso governador não aposta em código aberto porque podemos participar do desenvolvimento, mas porque é grátis, se fosse pelo desenvolvimento, a universidade onde estudo teria algum projeto relacionado ou teria de ter...

     

    Você disse uma coisa que realmente é verdade: as pessoas estão indo para o open source porque ele é de "graça" e não pela "ideologia" de comunidade que existe (ou deveria existir, segundo eles) por trás. Veja a crítica de um brasileiro que participa do movimento de open source:

    http://www.linux.com/article.pl?sid=07/01/17/2018227

    http://stratusandtheswirl.blogspot.com/2006/12/floss-in-brazil-turns-out-to-be-joke.html

     


    Ricardo Oneda
    http://oneda.mvps.org/blog

    terça-feira, 20 de março de 2007 12:28

Todas as Respostas

  • Alexandre,

    Neste caso o ideal é você fazer um evento e mostrar a tecnologia, para que todos tomem conhecimento. Realmente a falta de conhecimento, de ambas as partes, acaba neste tipo de comportamento.

    Na minha opinião, os alunos tem que conhecer todas as tecnologias existentes no mercado, e optar por somente uma não é bom para ninguém.

    Se a escola tem acordo com a Microsoft, por exemplo, MSDNAA, isto garante a legalidade e o convênio, que traz muitos benefícios para todos, e isto não impede o fato de se usar qualquer software livre.

    Sugira montarem dois laboratórios, ou metade dos micros, com as duas plataformas.

    []s,
    Carlos.

    terça-feira, 13 de março de 2007 01:49
  • Infelizmente, tenho ouvido ou lido muito sobre o apoio incondicional das Universidades ao Open Source. Também não tenho nada contra, mas o que parece estar acontecendo é que algumas dessas Universidades já partem do pressuposto de que tudo que vem da Microsoft é "ruim" e que a salvação da humanidade está no Open Source.

    Vejam bem, um lugar onde deveria ser estimulado a troca de idéias não parece admitir que o "outro lado" tenha alguma razão. Isso é um absurdo! Em vez de fazerem discussões racionais levando-se em conta aspectos técnicos, mostrando as vantagens e desvantagens de cada abordagem, simplesmente leva-se a discussão para o lado emocional, no qual a defesa de uma alternativa passa a ser uma posição ideológica.

    É uma pena...  


    Ricardo Oneda
    http://oneda.mvps.org/blog

    domingo, 18 de março de 2007 01:32
  • Tem o lado das empresas de software que parecem estar ignorando isso também ou mesmo ainda os planos de "pcs para todos" do governo (embora o XP Starter seja fracão demais mesmo), me envolvo com projetos abertos e outros não, e gostaria que em qualquer um deles fosse respeitado e que o fato de seguir uma ou outra política de licenciamento não contasse logo de cara.

    No Paraná ocorreram eventos sobre "Software livre" que prefiro chamar de código aberto e não usar o termo livre, nos seminários eles perdiam muito tempo falando mal e de forma leviana de outra empresas, sai frustrado.

    Nosso governador não aposta em código aberto porque podemos participar do desenvolvimento, mas porque é grátis, se fosse pelo desenvolvimento, a universidade onde estudo teria algum projeto relacionado ou teria de ter...

     

     

    terça-feira, 20 de março de 2007 03:12
  •  Alexjs wrote:

    Nosso governador não aposta em código aberto porque podemos participar do desenvolvimento, mas porque é grátis, se fosse pelo desenvolvimento, a universidade onde estudo teria algum projeto relacionado ou teria de ter...

     

    Você disse uma coisa que realmente é verdade: as pessoas estão indo para o open source porque ele é de "graça" e não pela "ideologia" de comunidade que existe (ou deveria existir, segundo eles) por trás. Veja a crítica de um brasileiro que participa do movimento de open source:

    http://www.linux.com/article.pl?sid=07/01/17/2018227

    http://stratusandtheswirl.blogspot.com/2006/12/floss-in-brazil-turns-out-to-be-joke.html

     


    Ricardo Oneda
    http://oneda.mvps.org/blog

    terça-feira, 20 de março de 2007 12:28